Cabeçalho

Com agroindústria, família aumenta produção de farinha em mais de 700%

Cabeçalho matéria
Cabeçalho matéria
Cabeçalho matéria
Cabeçalho matéria
Cabeçalho matéria
18102016-124501-farinheira-alvorada.jpg

O crescimento das agroindústrias familiares têm trazido melhorias e aumento da produção nas pequenas propriedades rurais de Rondônia. Na última sexta-feira (14), uma unidade foi inaugurada em Alvorada do Oeste e aumentou a produção da farinheira Três Irmãos. Antes, a família conseguia produzir uma média de 120 quilos por mês e agora elevou para 1 mil quilos.

Os donos da farinheira são os irmãos Antônio Conceição da Silva, Adevaldo da Silva e Genivaldo da Conceição da Silva. Com tradição na fabricação de farinha a várias gerações os irmãos Silva tiveram contato com essa atividade através de seus avós que fabricavam farinha para consumo familiar. Foi o pai, Manuel Silva, ainda morando no Nordeste, que iniciou a atividade comercial, vendendo a produção. Em Rondônia desde a década de 1970, a família passou 20 anos produzindo apenas para o consumo familiar.

Hoje, a farinheira produz em média mil quilos de farinha/mês, comercializando a produção no valor de R$ 4,00 o quilo. Com despesa em torno de 60% da receita seu faturamento anual passou para R$ 48.000,00 e a projeção futura é dobrar a produção.

Segundo a Emater, foi prestada assistência técnica à família e eles foram inseridos nos programas de incentivo do governo estadual. Através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) começaram a entregar a produção e com as exigências quanto à regularização na fabricação do produto, aderiram ao Programa de Verticalização da Pequena Produção Agrícola (Prove).

Antes da formalização da agroindústria, com mão de obra familiar, os irmãos Antônio, Adevaldo e Genivaldo conseguiam produzir apenas120 quilos de farinha por mês. A mesma era vendida a R$ 3,00 o quilo, gerando uma receita bruta anual de R$ 28.800,00.

Para dar celeridade ao processo os Silva solicitaram acesso ao crédito rural e, através da linha Pronaf conseguiram adquirir um trator para auxiliar na produção dos grãos e recursos financeiros para construção do prédio que iria abrigar a agroindústria. Os equipamentos foram adquiridos através do programa de agroindustrialização do governo estadual.

Da redação com informações da Emater

Comente com o Facebook!
BMC
BMC
BMC

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *