Cabeçalho

INSTITUTO DE PESOS E MEDIDAS REDUZ GASTOS EM CERCA DE 30% E AUMENTA PRODUTIVIDADE EM RONDÔNIA

Cabeçalho matéria
Cabeçalho matéria
Cabeçalho matéria
Cabeçalho matéria
Cabeçalho matéria

Resultado da adoção de medidas com foco na política “fazer mais com menos”.


As despesas do Instituto de Pesos e Medidas de Rondônia (Ipem) caíram de R$ 1,2 milhão para R$ 856 mil neste ano. Uma redução de 28 % nos gastos. Resultado da adoção de medidas com foco na política “fazer mais com menos”.

“Nós mudamos o foco. Agora estamos investimento na valorização dos nossos servidores, em equipamentos de trabalho, equipamentos de segurança, capacitações entre outras ações. Com isso temos tido mais acertos e um aumento na produtividade”, declarou o presidente do Ipem/ Ro, Aziz Rahal Neto.

Ainda segundo ele, pequenas mudanças dentro do Instituto trouxeram excelentes resultados. “Fizemos alguns reparos e reduzimos, por exemplo, a conta de água em até 60%, também capacitamos servidores que atuam nas gerências do interior, organizamos o setor financeiro do Instituto, de forma que crescemos mais, tanto na questão de ganhos quanto com arrecadações”, destacou.

O Ipem é um órgão do governo que atua em duas linhas principais: verificações e fiscalizações de produtos pré – medidos (materiais de limpeza, higiene pessoal e do gênero alimentício), produtos têxteis (vestuário, calçados), verificação de selos do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), além de calibrações e inspeções em taxímetro, caminhões, postos de gasolina entre outros. A atuação do Ipem busca mostrar ao consumidor se o que ele está levando condiz, com o que foi vendido.

O resultado também se dá por meio dos números. Durante os cinco primeiros meses do ano, o órgão já atendeu cerca de 30 municípios, com mais de 81 mil produtos avaliados, 4.347 instrumentos verificados, e 914 lotes de produtos pré embalados examinados. Destes mais de 7 mil produtos avaliados estavam irregulares, e mais de 179 instrumentos foram reprovados. Segundo Kleber Kendy Ihida, diretor técnico do Ipem/Ro, os aumentos das taxas de reprovações mostram a produtividade do trabalho realizado.

“Esse ano tivemos taxas de reprovações maiores do que no ano passado. Com um aumento de 7% de reprovações de instrumentos, o que significa que estamos tomando ações mais direcionadas para onde estão os problemas. Estamos acertando mais nas fiscalizações” declarou o diretor.

Na próxima semana (13 e 14 de junho), O presidente do Ipem vai participar do XVI Encontro com Revendedores de Derivados de Petróleo e Lojas de conveniência do Norte do Brasil com discussões e palestras voltadas ao crescimento da economia do estado.  “É um encontro importante que vai tratar da questão de vendas, matriz energética, e vamos estar presente prestando orientações e auxílios aos participantes” finalizou o presidente.

Fonte: 015 – Secom – Governo de Rondônia

Comente com o Facebook!
BMC
BMC
BMC

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *